Vídeo em destaque

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

UNE recebe indenização para reconstruir sede incendiada em 1964

A União Nacional dos Estudantes (UNE) recebeu a segunda e última parcela da indenização, concedida pelo governo federal, por causa do incêndio que destruiu a sede da entidade, no Rio de Janeiro, em 1964, com a instalação da ditadura militar no país. Em 1980, o então presidente João Figueiredo mandou demolir o prédio. Os valores serão utilizados para a reconstrução da sede da entidade, uma bandeira histórica do movimento estudantil.




Incêndio na sede da UNE, em 1964, no Rio de Janeiro / foto: arquivo


No dia 19 de maio de 2010, o senador aprovou, por unanimidade, o projeto de reconhecimento da responsabilidade do Estado sobre a destruição da sede da UNE, e também da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), e a destinação dos recursos para sua reconstrução.
Instantes antes da aprovação, o relator do projeto, senador Marco Maciel, apresentou parecer e afirmou categoricamente: "esta matéria foi aprovada por unanimidade na Câmara dos Deputados e faço votos de que assim o seja também no Senado".

Augusto Chagas, então presidente da UNE naquela ocasião, comentou que a decisão era uma prova de que o Brasil havia mudado. "A posição unânime dos senadores, seguindo a já exposta pelos deputados, prova que a luta dos estudantes não foi em vão. Hoje o Brasil é outro, a democracia é uma realidade e jamais voltaremos ao passado sombrio de ditaduras".


Lula participa do lançamento da pedra fundamental da nova sede, em 2010/foto: divulgação UNE

Ontem, o governo Dilma Rousseff liberou o pagamento de R$ 14,6 milhões. Em dezembro de 2010, o então presidente Lula já tinha autorizado a liberação de R$ 30 milhões, de um total de R$ 44,6 mi.

Nova sede


Oscar Niemeyer se reúne com estudantes para mostrar projeto para nova sede/foto: divulgação UNE

A nova sede da UNE ganhou um projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, que lançou no dia 20 de dezembro de 2010 a pedra fundamental do prédio, na praia do Flamengo, Rio de Janeiro. O ato contou com a presença de diversas lideranças, inclusive, do então presidente Lula. O novo edifício terá 13 andares e inclui salas de cinema, teatro e o museu Memória do Movimento Estudantil. O custo estimado são os R$ 44,6 milhões da indenização.


Fonte: vermelho.org.br

5 comentários:

  1. Um prédio de 13 andares não custa isso, eu acho que a UNE deve mostrar ao povo brasileiro o orçamento dessa obra!

    ResponderExcluir
  2. A reconstrução do prédio da UNE é um dever do estado! Destruida durante o golpe militar (extamente pelos milicos saberem a sua importância),a obra não será apenas um prédio, e sim a Casa de todos (as) estudantes do Brasil! Terá espaços de cultura e lazer, além de abrigar estudantes que estarão de passagem pelo RJ, isso tudo com o projeto arquitetônico de uma sas maiores personalidades do país. Parabéns à UNE por mais esta conquista!

    ResponderExcluir
  3. Vou ajudar o amigo: "...que inclui salas de cinema, teatro e o Museu do Movimento Estudantil". Hmmm... ah tá, não é só um edifício de 13 andares...

    ResponderExcluir
  4. Você, certamente, não entendeu a minha colocação. Minha posição não é contra o fato de ser ou não ser só um prédio. É contra o custo dela, independentemente do que abrigará. Eu realmente acho que a UNE e a UBES devem ter seus espaços (especialmente por terem-nos anteriormente destruídos), mas eu tenho a desconfortável sensação de que a obra está superfaturada.

    Independentemente da minha ideologia, eu, COMO ESTUDANTE E CIDADÃO, acho que é OBRIGAÇÃO moral da UNE divulgar o orçamento da obra.

    Aliás, o dinheiro fora concedido anteriormente à apresentação deste orçamento ao governo, sem critério algum.

    ResponderExcluir
  5. Claudio Ouriques Estudante de Economia UFRGS3 de janeiro de 2012 20:31

    Especulações anonimas não tem crédito algum, meu caro. Se vc acredita que esta havendo superfaturamento na obra de reconquista do espaço dos estudantes, sita-se livre para fazer denúncia junto ao ministério público. E além do mais o senhor poderia pelo menos assinar o que escreve. Juventude que se esconde atrás de especulações anônimas não tem crédito nenhum frente a UNE.
    '' A UNE SOMOS NÓS NOSSA FORÇA E NOSSA VOZ! ''

    ResponderExcluir